A República Ideal de Star Wars, por Platão

Uma das discussões mais célebres no campo da Ciência Política trata-se do debate sobre as formas de governo. Desde Heródoto até os pensadores mais atuais, as palavras “democracia”, “aristocracia” e “monarquia” não saíram do vocabulário do pensamento político. As definições e julgamentos de valor variam, é claro, segundo os autores.

Sem dúvidas, uma das divisões mais lembradas é a tipologia de Platão, filósofo mais conhecido pela alegoria da caverna (ou pela trilogia Matrix). No livro “A República”, Platão traz uma divisão bastante peculiar e distinta daquelas que se tornariam mais correntes, como a classificação sêxtupla de Aristóteles e o ciclo de Políbio. Na obra citada [1], Platão demonstra uma perspectiva negativa da história, que se constitui em um regresso indefinido entre quatro formas de governo negativas: timocracia (espécie de transição), oligarquia, democracia e tirania.

Note que a palavra “democracia” estava longe ainda de assumir a conotação positiva dos dias de hoje, em que até regimes mais autoritários disputa a acunha. Platão provavelmente tinha uma visão negativa da democracia devido ao fato de que a morte de Socrátes (real ou amigo imaginário?) foi fruto de decisão coletiva tomada em assembleia. Assim, tinha-se a percepção de que as massas poderiam tomar decisões ruins. As formas de governo, para Platão, caracterizavam-se pelos vícios e virtudes de suas classes dirigentes. Assim, o homem timocrático era conhecido por seu talento militar e severidade com os criados, o homem oligárquico pela prevalência que dava aos ricos e o homem tirânico pela violência [2].

Por outro lado, a forma ideal, que – como o “homem ideal” não existe – refere-se à composição harmônica entre as três categorias de homens: guerreiros, filósofos e dedicados ao trabalho produtivo, os quais correspondem às três partes da alma (respectivamente passional, racional e apetitiva). Tal forma ideal poderia ser uma aristocracia ou a monarquia, desde que as três categorias de homem estejam exercendo suas funções [3].

Platão não contemporâneo as duas trilogias de filmes de Star Wars, mas não é difícil imaginar como ele julgaria a política exposta nos filmes. Primeiramente, no plano real, a passagem da república ao Império se constituiria em uma brusca transformação em tirania, caracterizada pela violência do Imperador por meio da ação de Darth Vader. Em segundo lugar, a própria passagem pode ser analisada pelos critérios de Platão, que destaca duas espécies de conflito: dentro da classe dirigente e entre governantes e governados. No âmbito da classe dirigente, houve um conflito óbvio entre o Senador Palpatine e alguns outros membros do Senado, em especial a proeminente Padmé Amidala. Já no que tange à disputa entre governantes e governados, podemos ressaltar o papel da Federação de Comércio [4], a qual contribuiu para que o Império Galáctico fosse efetivamente construído. Dessa forma, o governo em Star Wars enfrentou os dois tipos de conflito. O filósofo também menciona que a passagem pode ocorrer pela troca de gerações – o que podemos observar em Star Wars pelo crescimento de Anakin Skywalker e seu conflito geracional eterno com Obi-Wan Kenobi. Por fim, cabe destacar a visão que Platão teria sobre a forma de governo ideal para os personagens de Star Wars. Ora, se a forma ideal se refere à composição harmônica entre as três categorias descritas, o resultado é óbvio. A atividade de governar ficaria a cargo do Mestre Yoda, visto que “filósofo ele é”. A segurança estaria sob a responsabilidade dos Jedis, pois eles equivalem mais apropriadamente aos guerreiros (possuem até um código de moral próprio voltado a isso, embora Anakin tenha subvertido). Já o trabalho produtivo continuaria nas mãos dos coadjuvantes dos filmes (semelhança com a vida real é uma mera coincidência?).

Assim, para memorizar a divisão I (ele tem outras divisões nas obras seguintes) de Platão, é simples: basta recordar que a forma ideal é um sistema em que Yoda governa, os Jedis fazem a defesa do território e a classe produtiva continua responsável pela produção dos bens de sobrevivência. Ou, para os fãs de música popular brasileira, “cada um no seu quadrado”.

Dessa forma, percebemos que a filosofia e as trilogias de Star Wars têm alguns pontos em comum além das discussões políticos: são longas e às vezes trabalhosas, mas valem a pena.

Passagem ocorre através da troca de gerações

O que explica a transição de uma forma a outra? Duas espécies de conflito: dentro da classe dirigente, e governantes x governados.

Referências bibliográficas:

[1] PLATÃO. A República. Coleção “Os Pensadores”. São Paulo: Nova Cultural, 2000.

[2] BOBBIO, Norberto. Teoria Geral da Política: A Filosofia Política e as Lições dos Clássicos. Rio de Janeiro: Elservier, 2000

[3] Ibidem

[4] http://pt.starwars.wikia.com/wiki/Federa%C3%A7%C3%A3o_de_Com%C3%A9rcio

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s